Tendências na logística (2019)

Rolf Bax

Rolf Bax

September 11, 2019 - 15:49

A revolução digital é visível por toda a parte, em qualquer organização ou residência. Não há mais como fugir dela e se você olhar para o passado e vislumbrar o futuro, verá que estamos no meio do caminho.

Desde a globalização, a digitalização no setor logístico é uma das mais importantes oportunidades de eficiência, novos modelos de negócio, melhor experiência do cliente e sustentabilidade. O que isto vai significar no futuro, vamos descrever em nosso blog, com base no relatório da DHL sobre tendências na logística, divulgado recentemente. 

logistics and green environment

1. Centralidade no cliente

No ambiente digital atual, a orientação ao cliente é de alta prioridade. Os clientes possuem grande poder para decidir onde, qual e como compram seus produtos e serviços. Transparência, preços acessíveis, facilidade e rapidez na entrega e devolução são questões importantes sobre as quais novos modelos de negócio se originarão a fim de atender aos desejos dos clientes.

A estratégia Omnichannel continua sendo uma forte tendência para o futuro, com o varejo B2b, em relação a B2c, duplicando. As empresas vão precisar explorar isso. Na área de logística, você deve pensar em redes de fulfillment flexíveis, soluções para visibilidade do inventário, modelos de custos de remessa baseados em proximidade e soluções de last mile delivery.

Também no setor de produtos frescos, novas soluções são imprescindíveis para atender às necessidades do cliente. Os consumidores frequentemente vão fazem suas compras diárias online (a expectativa é de 70% dentro de 5 anos) e as vendas online deverão aumentar substancialmente.

Para poder atender à centralidade do cliente, você vai precisar estar o mais perto possível do consumidor. A tendência Connected Life com tecnologias inteligentes dentro e em torno da casa também vai continuar a desempenhar seu papel.

Como último aspecto, a servitização vai ajudar fabricantes com uma mudança de paradigma, de fazer produtos para uma situação onde a prestação de serviços será prioritária. Assim, novos modelos de negócio surgirão, mais voltados para o consumidor.

2. Sustentabilidade – tornando uma indústria com emissões zero

Em todo o mundo, compromissos são firmados diariamente para reduzir a emissão de CO2. Gasolina e óleo diesel serão reduzidos nos próximos 10-20 anos. Com a finalidade de diminuir produtos residuais, soluções ecológicas serão concebidas. Também em logística, se dá muita atenção a esta questão. A DHL, por exemplo, quer ser uma empresa com emissão zero em 2050. Sustentabilidade não se aplica apenas a transportes, mas também à armazenagem. Frotas e logística verdes, contêineres inteligentes são, aliás, dois termos que se tornarão muito importantes no futuro.

3. Tecnologia – inovação catalisadora com um ponto crítico de desempenho de custos

Em termos de tecnologia, muita coisa já é possível. Tudo e todo mundo está conectado entre si. Previsibilidade, big data, custos tecnológicos decrescentes e o desempenho crescente e contínuo da informática fazem com que as cadeias de abastecimento se tornem cada vez mais inteligentes, ágeis e previsíveis. No momento, a adoção da tecnologia é ínfima, mas as vantagens serão enormes a longo prazo. As oportunidades de IoT (internet das coisas) em logística estão estimadas em 1,9 milhão de dólares. Uma outra oportunidade é a Next Generation sem fio. Novas redes sem fio podem ser um catalisador para implementações em grande escala da IoT no setor de logística, e a logística conectada vai possibilitar diversas cadeias de suprimento mais inteligentes e inteiramente novas. A IA (inteligência artificial) está se tornando muito mais importante que no passado e o mesmo vale para blockchain. A blockchain remove partes significativas de complexidade da cadeia de abastecimento global. Diversos desenvolvimentos e startups já estão em curso e os primeiros resultados são positivos, mas o sucesso efetivo precisa ainda ser comprovado. A adoção de blockchain poderia redefinir processos seculares.

4. Pessoas – criando a força de trabalho homem-máquina colaborativa do futuro

A automatização de tarefas humanas (sobretudo as intensivas e repetitivas) é um dos maiores pilares que abrange a digitalização da logística e transporte. Muitas vezes você pensa logo no desaparecimento de empregos, mas é logo também a criação de empregos em campos da logística totalmente novos.
O mercado pede por automatização (entrega mais rápida, escassez de pessoal etc.). Você vê isso na China já há alguns anos, consequentemente estando na vanguarda da robotização. Também em outras partes, pode-se ver os primeiros robôs (inclusive em grande escala) em armazéns. Com isso, surge a necessidade de mais empregos para o trabalho digital e novos modelos de trabalho se originarão.

Este blog é um resumo com base no relatório de tendências da DHL de setembro de 2019. www.dhl.com. Na pesquisa, definiram o radar de tendências da logística onde indicam a relevância das tendências tecnológicas, comerciais e sociais para os próximos 5 anos e os 5 anos após. Veja o link aqui

Sobre a ControlPay

Por mais de 17 anos, líder global em prestação de serviços de auditoria de fretes e visibilidade logística, a ControlPay, com escritórios em vários países, serve a grandes multinacionais com estrutura logística complexas, controlando o custo de fretes e o fluxo de fatura de fretes. Nosso serviço também inclui Faturamento Automático, Ferramenta Extra de Custo, Business Intelligence, Ferramenta de Licitação, Rateio de Custo, gestão de tarifas e concorrência de frete em parceria com a tendertool.com. Para mais informações, entre em contanto conosco pelo [email protected]

about Controlpay

 www.controlpay.net.br  

- Blogue: Os 50 principais mercados emergentes Logística 2019